quarta-feira, 16 de julho de 2008

Da arte de se hospedar na casa alheia

Para quem quer viajar barato pela Europa e não foi criado com vó, o site do Couch Surfing é uma idéia genial.Parece um orkut, mas completamente voltado para viajantes.A regra é simples,você hospeda alguém e quando precisar, essa pessoa te hospeda, em qualquer lugar do mundo.Se você gostar da hospedagem, coloca referências para a pessoa, o que aumenta a confiabilidade dela para os outros.
Por outro lado, você pode ter que dormir no chão, esperar 2 horas para usar o banheiro e fazer uma social o tempo inteiro.Acho que compensa, mas tem gente que não dá conta.Gente fresca, óbvio.

terça-feira, 8 de julho de 2008

Lucas Revisited

Faz tempo que nao meto meus dedos em teclados para escrever em blog ou se quer para responder e-mails. Tudo isso tem uma explicaçao que em resumo se baseia no tempo! Passei os meses de maio e junho trabalhando mais de 12 horas por dia. Nos dias de folga eu dormia! Muito!
Sobre isso dedicarei mais tempo em outros posts. O que todos realmente querem saber é da doidera do mochilao!
Agora me encontro em Lisboa. Marcao e Euclides estao ali na sala do albergue dormindo no chao. Isso devido a quebradera da viagem Madrid - Lisboa.
Em Madrid, ao vermos o trem, observavamos atraves das janelas dos vagoes as deliciosas camas que nos aguardavam, inclusive com mini banheiros em cada cabine. Ja imaginavamos como seria uma viagem tranquila e gostosa. Seria basicamente dormir em uma cidade e acordar feliz, alegre e animados em outra cidade. Nao foi isso que aconteceu quando descobrimos que o vagao que nos estava reservado era somente de poltronas... levemente reclinaveis. "Ah... entao isso que eles chamam de reclinar aqui na Espanha? Esse país é uma brincadeirinha mesmo hein" reclamava Marcao.
O Euclides já falou no mesmo instante "Passando o fiscal vou vazar pra primeira cama desocupada que eu ver."
Fiscal passou, Marcao apagou e eu e Clidi saimos a procura de camas.
Haviam 3 vagoes, com 5 cabines cada e cada cabine com 4 camas. Encontramos somente 2 camas vazias. Ficamos naquele receio dos fiscais nos pegar, porque ja haviam feito isso alguns minutos antes quando tentamos dormir em umas poltronas mais espaçosas. Entao voltamos para nosso lugar de origem. Porém as duas horas da manha, sem conseguir dormir, com a coluna totalmente dobrada, o pescoço virado pro lado oposto do corpo, com a boxecha apoiada no ferro do braço da poltrona, os joelhos grudados no banco da frente, liguei o foda-se! Entrei em uma cabine com o meu saco de dormir, acordei um japa que lá estava e perguntei se havia alguem na cama. Ele respondeu que nao sabia, entao altomaticamente a cama passa a ser minha!
Dormi feito um bebê!
Acordei chegando em Lisboa, voltei pra cabine, encontrei com o pessoal com as caras destruidas, pegamos as mochilas e saltamos na estaçao Santo Apolo em Lisboa, que fica 10 minutos do albergue.
Agora é esperar pra ver o que nos guarda essa cidade lusitana. E comemorar por finalmente termos conseguido escapar dos arredores de Zaragoza. A cidade imantada que nos forçava a continuarmos na Espanha.

Noticias anteriores consultem meialuaesoco.blogspot.com e clidi.blogspot.com .

Festa de San Fermin - 1 pessoa morreu, 89 feridas e 5 gravemente feridas. E nós ainda estamos vivos!

Beijos, abraços e até mais ver!

Lucas

domingo, 6 de julho de 2008

Aveiro

Claro, eu sei.Ninguém em sã consciência vem visitar Portugal, tendo a Europa inteira para ver.Mas, há mais coisas entre o Tejo e o Douro do que sonham as vãs filosofias.
Aveiro é uma cidadezinha perto de Coimbra, (à 4,90 euros, para ser mais exata) que as pessoas nomearam de "A Veneza portuguesa".Eu não sei como é a Veneza original, então não posso dizer se isso é verdade.
Bem.Em Aveiro,após chegar numa estaçãozinha de trem bonitinha, você começa a ir em direção ao centro da cidade, onde pega uma bicicleta para andar o dia inteiro de graça.A cidade é toda adaptada à bicicletas, de maneira que é muito gostoso andar por ela.E andando, borboletando, você acaba por dar numa pracinha, no meio da cidade, onde passa um rio, cheio de gôndolas e turistas, uma coisa bem legal de se ver.O pessoal da cidade é muito receptivo, um lugar onde, incrivelmente, você consegue encontrar portugueses bem educados.Mas o idioma que mais se escuta é a língua de Cervantes.
Na tal praça, você pode deitar na sombra e apreciar a paisagem.Quando estive lá ela era constituída por atores vestidos de preto,encenando uma peça muda e bem esquisita, velhinhos, pessoas jogando capoeira, mais velhinhos e pessoas andando de skate na pista central.
A cidade é limpa,colorida, calma e movimentada ao mesmo tempo.A Europa começa a 50 km de Coimbra...