quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Lá, e de volta outra vez...

Juro que já tentei fazer este post várias vezes. Já tem mais ou menos um mês que me restrinjo em vir aqui e rascunhar mais um pouco... Nunca clico em Publicar Postagem! Não sei se vai ser dessa vez. Passar tudo o que vivi em um ano de viagem é muita bagagem... Muito detalhe emocionante que muda muita percepção da vida...

Várias também foram as vezes que tive que responder a mesma pergunta "Como foi?". Na verdade eu já estava preparado que ela viesse. Tínhamos pensado até mesmo em criar uma camiseta com os dizeres "A VIAGEM FOI DO CARALH&($#" e usá-la por um determinado tempo. E realmente foi DO CARAL&*$@, mas quando voltamos parece que ela nunca existiu. Foi um sonho... Tudo continuou a mesma coisa, todos estão do mesmo jeito, a rotina é a mesma... muda uma construçãozinha aqui, outra ali, fulano arrumou namorada, ciclano trocou de emprego, enfim, a essência é a mesma... mas eu? Eu não... eu mudei! Vi várias coisas acontecendo, vi várias coisas diferentes todos os dias e passava por situações complicadas, divertidas, aterrorizantes, todos os dias! Mas quando voltamos, parece que freamos de repente, engatamos marcha ré, e continuamos a viagem em 1ª marcha.
Mas ainda sim, foi ótimo ter voltado! Como senti falta de todos que aqui deixei! E agora é tempo de construir a vida devagar, pensando no futuro... o que eu definitivamente não fiz ano passado...
E como é bom não pensar no futuro!
Certa noite, conversando com hóspedes do hostel em que trabalhei, regado a um bom vinho tinto português e New Slang ao fundo, um jovem com os seus 26 anos contou que uma vez havia viajado pro deserto do Saara com um amigo, e de noite no deserto só se via estrelas, um céu como ninguém de nós poderia compreender. E elas não iluminavam nada do horizonte, o momento ideal para seu amigo lhe propor uma corrida até a primeira duna que encontrassem. Então eles correram! Correram no vazio, não se via um só palmo a frente, e só se sentia os pés procurando uma posição segura na areia, o suficiente para não caírem e continuarem correndo, e riam! Riam até esgotar o fôlego! E esse foi o momento mais vivo que ele já teve em toda vida... correr no vazio!
Eu me sentia assim! Correndo... sem me preocupar com o que poderia haver na frente... com aquele medo e aquela sensação de estar vivo.

Só me resta falar um pouco do que vivi, e vocês tirem suas próprias conclusões de ter sido válido ou não a experiência que tive. E para não me desfazer das tentativas passadas de postar este texto, segue o que eu já havia escrito, com as devidas modificações:

Poisé... Voltei! E como todo bom brasileiro, só agora, depois do carnaval, começou meu ano! Desempoerado, agora é fazer a roda girar e ganhar dinheiro de forma nada subemprego.
Foram 365 dias exatos, 8 países, 22 cidades, aproximadamente 41200 km rodados, distancia suficiente para dar uma volta ao mundo e ainda tomar um café em Paris. Distribuídos de certa forma que superou minhas expectativas.
Realizei não apenas 1 sonho, mas vários!
Entrei em monumentos históricos, participei de fatos históricos. Fiz amigos de todas as partes do mundo, alguns deles agradeceram por ter me conhecido, mas eles não sabem o quanto sou muito mais grato por ter passado um pouco pela vida deles, aprendi falar uma terceira língua, e uma ou outra palavra em uns outros 10 idiomas. Morei sozinho e também dividi casa com mais de 12 pessoas. Aprendi a cozinhar e a importância de manter um quarto arrumado. Conversei com um holandês sobre as vantagens e desvantagens da legalização da droga, vi o Papa e entrei em sua morada da forma mais inusitada possível, conversei em italiano com um mendigo russo que cantava em inglês num ônibus em Roma (e ele parecia espantosamente com o Tom Zé), conversei em inglês com um mendigo em Amsterdã que era francês e falava todas as línguas possíveis (e ele provou! Acreditem!), conheci estrangeiros que amam o Brasil e outros que pensam que falamos espanhol e Brasília está no meio da Amazônia, muitos desses eram doutores, mestres ou com qualquer outro título. Os mendigos sabiam que aqui falamos português e sabiam o que era português, falavam "bom dia", "boa tarde", "boa noite", "obrigado" e "cuidado com a bicicleta!". Dormi na rua, comi restos de comida, vendi muambeira de porta em porta, fui garçom, assentei piso e até gerenciei um hostel! Senti o que é ser imigrante, aprendi uma musica em indiano, vi pessoas chorarem nos bastidores de um restaurante, sentindo falta da mulher e dos filhos que deixaram no Brasil, no Nepal, na Bolívia, no Chile... E não necessariamente a mesma pessoa. Falsifiquei um visto europeu e senti o calafrio ao passar pela policia européia mais de nove vezes, sem nenhum único problema. Chorei de desespero por ter me perdido em Roma e não conseguir voltar pra casa, em uma noite que batia 0ºC e eu andava com a minha tímida jaqueta do inverno uberlandense. Quando isso aconteceu eu não falava nada de italiano, e foi nesse dia que descobri, da pior forma possível, como nenhum italiano fala inglês! Hoje conheço Roma como a palma da minha mão, e me perdi nos metros de Paris, vi onde o Hitler morreu, andei por um campo de concentração e desejei que esse infeliz nunca tivesse vivido. Fui rejeitado em milhares de emprego, sofri preconceito por ser brasileiro, mas também ganhei muita gorjeta pelo mesmo motivo... Mas estas não vinham dos portugueses. Vi pessoas sendo atropeladas pelos touros de Pamplona, vi o Sol nascer deitado num banco de uma praça de Roma, vi o Sol se por no meio do mar mediterrâneo. Senti-me sozinho no início e depois eu casei e ela sempre estava lá comigo! Tive um gato de estimação, mas depois ele foi devorado por um cão. Passei três meses comendo macarrão e pizza, passei um mês comendo o que o dinheiro dava, passei vários meses comendo bacalhau, e quando fui esquiar levei um tombo que me fez passar vários metros comendo neve. Vi a neve!!! Subi as escadarias do Rocky e comemorei no melhor estilo! Vi meu primo que não via ninguém da família a mais de sete anos, dormi na casa de pessoas que nunca tinha visto antes na vida, passei quatro dias sem tomar banho... Em pleno verão! Criei uma coleção de moedas, e essa já tem tantas de tantos lugares. Me embebedei num cruzeiro, num trem e num avião, e descobri que essa é a melhor maneira de viajar! Quando você acorda já está lá! Caminhei pelo Central Park e corri pela Disney às 10hs da noite para aproveitar o parque que fechava a meia noite.
Nunca aprendi tanto sobre o nosso país, só por estar fora dele. E estando fora, concluí que aqui é realmente o melhor lugar do mundo. Caminhei pelas margens do Tejo, do Douro, do Sena, do Tevere e nenhum deles ganhou dos passos sem pressa pelo Mondego. O morango, o vinho, o chocolate, o rio, as estrelas e Ela...

Obrigado Léo, o melhor dos EUA foi saber que eu fiz parte de um pedacinho da sua vida!
Obrigado Marcão e Clidi, pela FANTÁSTICA companhia e pelas centenas de euros emprestados!
Obrigado querida mamãe e querido papai, por ter apoiado essa empreitada maluca e pelas horas de preces... elas funcionaram!
Obrigado João Caldas e Antonio, por confiarem a chave da empresa em minhas mãos!
Obrigado Amor, por lá ter estado sempre ao meu lado, e aqui estar também!
Obrigado a todos que me incentivavam a continuar continuando... Muito desses nem sabem da existência desse blog e muito menos do tanto que me ajudaram...

Muitas coisas não relatei aqui durante o ano. Às vezes batia aquela preguiça, às vezes não dava tempo, e assim algumas histórias se perderam... não fiz nem metade de tudo que deveria ter feito e não relatei nem metade de tudo que fiz, mas com esse pouquinho de palavras espero ter inspirado ao menos uma pessoa a se arriscar e por ao menos um ano fazer tudo sem pensar no amanhã. Utilizo a frase que meu amigo Leonardo Dias me disse em um momento de medo, dias antes de partir para Europa: "Cara... vai! Não pensa no que pode ou não acontecer. As coisas simplesmente vão acontecendo de uma forma surpreendente! Você só tem que decidir se quer vivê-las ou não... eu escolheria a primeira opção!”

Beijos, abraços e espero vê-los por aqui em breve. Continuarei escrevendo...
Lucas

sábado, 24 de janeiro de 2009

Subir as escadarias do ROCKY...





checado!

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Obama´s time

1-Do Obama

Obama é um cara carismático.Dentes perfeitos, sorriso enorme, voz de barítono e simpatia para dar e vender.Como eu sei disso?Eu vi na TV, oras.Do lugar que a gente estava em Washington só daria para ver o sorriso do presidente se ele fosse um Coringa gigante.

2-Da posse

Ver a posse do primeiro presidente negro dos EUA vale a pena claro.Como passar o ano novo na Times Square, mas significa muito preparo mental e físico.Roupas, muitas roupas, preparar para a sua cara congelar, seu pé congelar, suas mãos congelarem,e em certo ponto, até seu cérebro congelar.Além das roupas, a multidão.Não, mil perdões:A MULTIDÃO.Imagine colocar 2 milhões de pessoas(com sensação epidérmica de 57 milhões)numa cidadezinha de nada,de uns 200 mil habitantes.Deve ser por isso que a entrada do Capitólio é tão grande(talvez o maior percurso da cidade), para caber todo mundo lá, quando alguém mais popular é eleito,e bota popular nisso.
Se o papa João Paulo II estivesse vivo, ele e o Obama entrariam numa disputa acirrada de popularidade.Do papa atual, claro, ele ganha de longe.Na posse, como era de se esperar, a grande maioria era negra,isso não exatamente porque o Obama é negro, mas porque o país é negro.Muitos brancos também, e já no metrô demos de cara com uma galera com a bandeira do Brasil.

3-Do discurso

Eu gostei, a galera alucinou.Aliás,na primeira vez que o nome do Obama foi citado(e a gente ainda estava no meio da multidão tentando chegar num telão)todo mundo aplaudiu, começou um coro de "Obama", e tudo mais.Acho que foi um bom discurso, condizente com o que ele disse na campanha e bastante marcante, apesar da mídia daqui não ter achado.Vai ver é porque ele falou a frase"invadí-los com canhões" numa quantidade insuficientemente norte americana.Mas gostei especialmente de "para aqueles que culpam o Oeste(leia-se os EUA) pelos seus problemas, lembrem-se de que o mundo os julga pelo que vocês constroem, não pelo que destroem".Enra, engole Venezuela!
No momento de entregar o governo, como todo mundo já viu, o Bush foi vaiado.Algumas pessoas acham de mau gosto, mas na minha opinião o povo tem mais é que se expressar mesmo.Teve gente que não contente com a vaia, ainda mostrou o dedo para o helicóptero quando ele foi embora.Ele não deve ter visto, mas penso que compreendeu o sentido da mensagem que lhe foi dada.

4-Do terrorismo

Bom, como eu estou viva, acho que a polícia foi eficiente em prevenir o terrorismo.Ou vai ver não tinha perigo nenhum, não sei.Tenho a impressão de que se fosse acontecer alguma coisa, seria obra de skinheads ou rednecks( o que seria bem complicado de prevenir), e não de árabes do terceiro mundo.Não levamos mochilas, assim como a imensa parte das pessoas, e o policiamento foi bem intensivo, de maneira que o sentimento geral era de segurança e cordialidade.

5-Dos afro americanos

Eles são, para dizer o mínimo, comunicativos.Para quem estava acostumado com o silêncio entediante de Portugal, isso é ótimo.No geral são bem simpáticos,hoje uma negra me viu com a bandeira do Brasil e disse "Oh Brasil, we love Brasil", o que é ótimo de se escutar, ainda que não seja a mais pura verdade.É esquisito para quem é do Brasil escrever "uma negra" porque parece algum tipo de racismo, mas aqui é assim, ou você é branco, ou negro.Se você for moreno é porque é latino americano,negros são negros, brancos são brancos, não há mistura.Os negros são muito orgulhosos da própria cor, quase como os brancos, mas de uma maneira mais positiva, eu acredito.E é claro que quando digo "os negros" ou "os brancos", estou generalizando, as pessoas são muito diferentes umas das outras.É sempre bom reforçar isso, já que não quero um espírito menos iluminado me acusando de racista, coisa que não sou mesmo.

6-Da parada

Não sei, estava muito frio para ficar esperando, e paradas são uma coisa estúpida.

7-Conclusão

Como gritou um cara na posse hoje: "What time is it?What time is it?IT´S OBAMA´S TIME!"

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Do pré-Obama

Hoje nevou! E eu e a Naiara ficamos parados por um bom tempo em frente a janela. É realmente lindo! Isso até nos animou de dar uma andada e sentir no rosto os flocos gelados. Toda a preparaçao: 2 calças, 3 meias, 4 blusas, cachecol, toca, luva, chave, grana, celular e maquina fotográfica e pé na rua!
Frio do caralho, mas como haviamos passado por uma prova de fogo... digo... de gelo alguns dias atras onde a temperatura chegou nos seus -16ºC, os -3 de hoje não foram tão difíceis assim. Cumprimos a tradição de guerra de bolas de neve e só nao montamos o boneco porque nossas luvas estavam molhando muito e isso não é tão legal no frio.
Na cidadezinha que estamos chega o último ponto da linha vermelha de metro de Washington, pensamos então em dar uma ida lá para comprar os tickets de metro para amanha. É uma estação quase abandonada, nunca se vê muitas pessoas por ali... tirando hoje!
Filas e filas de pessoas comprando bilhetes de metro. Pessoas que precisavam de ajuda para usar a maquina de venda, porque, como todas as pessoas aqui, sempre tinham um carro a disposição. Perguntas do tipo "então é só 1 ticket e eu posso andar em todas as linhas?", "mas dá pra chegar no Capitólio?". É o efeito pré-Obama, com direito a uma porção de policiais em cada esquina, em cada metro, em cada... Dunkin Donuts.
Os noticiários avisam "por favor, não vá para Washington de carro!". Lojas fazem promoção "amanha 10%off, abriremos as 3 A.M", e as revistinhas do homem-aranha já se esgotaram no próprio dia 14.
Ao sair do metro pegamos uma carona com uma amiga que falou que tinha acabado de escutar na rádio um aviso de "nao saiam de casa amanha! O terrorismo existe! Não vamos ser alvos!"
Essa cidade está um tumulto! E amanha esse tumulto espalhado estará concentrado em um só lugar, e lá estaremos nós, com uma bandeirinha verde-amarela! Se isso causar uma deportação, bom também!
Beijos e abraços e até mais ver!

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

The amazing Spider-Man


Spider-Man has a new sidekick: The president-elect. Barack Obama collected Spider-Man comics as a child, so Marvel Comics wanted to give him a "shoutout back" by featring him in a bonus story, said Joe Quesada, Marvel's editor in chief. The comics starts with Spider-Man's alter-ego Peter Parker taking photographs at the inauguration, before spotting two identical Obamas. Parker decides "the future president's gonna need Spider-Man," and springs into action, using basketball to determine the real Obama and punching out the impostor. Obama thanks him with a fist-bump. "How great is that? The commander in chief to be is actually a nerd in chief," Quesada said. "It was really cool to see that we had a geek in the White House. We're all thrilled with that."
The Examiner - Washington

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

da capital do capital

Washington!
É pequena, branca e quadrada. Pelo que eu percebo, as capitais mais recentes tem a mesma estrutura: construções quadradas e fortes! Mas foda-se né?
Atualmente a cidade está repleta de camisetas, posters, lapiseras, canetas, canecas, chaveiros, e todo e qualquer tipo de bugiganga do símbolo pop da cidade: Barack Obama! E vende! Como vende...
Nessa terra só não vende bosta enlatada... mentira... acho que vende também. Na semana do natal eu e a Naiara fizemos umas cestas e saímos vendendo na rua. Em 2 horas metemos 80 dolares no bolso, e só nao lucramos mais porque estava tão frio que tivemos que voltar pra casa. E quando eu digo que estava frio, acho que voces já podem imaginar. Por exemplo: na porta do supermercado uma mulher deixou cair uma garrafa de agua, em pouco tempo lá estavam funcionários do supermercado jogando sal no chão...
Voltando a Washington:
Lá se encontra a casa branca, que parece bem maior nos filmes, e bem mais bonita também, e eu até tentei encontrar um jeito de descrever ela, mas... eu juro, é uma casa, que é branca... que todo mundo sabe como é! Nao foi nenhuma surpresa. Só notei que era a dita cuja porque tinha uma placa escrito "The Withe House".
Na frente, bem lá na frente, tem o George Washington Monument, que é aquele imenso obelisco. Foi construido com tijolos vindo de todos os estados, na verdade, os estados que eram ricos na época. Ainda hoje chegam tijolos dos estados que nao haviam enviado (como o Alaska), mas eles não sabem muito bem onde colocam, ja que o monumento está pronto a muitos anos. (Interessante, essas bizarrices tem em todos os lugares). Lá de cima dá pra ver tudo: a casa branca ao norte, Lincon Memorial a esquerda, Capitolio a direita, pentagono ao sul.

O caminho que leva ao Lincon Memorial e ao Capitólio é repleto de museus, todos eles DE GRAÇA! Museu Nacional da História Americana, Museu da História Natural, Museu do espião, Museu do Holocausto, Museu da aviação e espaço, museu que não acaba mais! E pra cada um deles é bom tirar 1 dia iteiro. (tirando o da história americana que é chato pra cacet&$@...). Ainda não fomos em todos, mas eis os que passeamos:

Museu Nacional da História Americana

"Se não fosse o sr. e a sra. Blá, a America não existiria. Graças a estes 2 primeiros colonos que implantaram a sua casa no chão da suntuosa planície de oportunidades blahgrh blahrahAJDSLFJjadsjflajl ... "
Caralho... que museu chato! Para os americanos deve ser uma maravilha. Só! O museu mostra fotos dos primeiros colonos, conta como chegaram, qual pé colocaram primeiro, se escovavam os dentes de pelos de porco ou nao, fala que horas costumavam ir no banheiro, como era a casa, com quantos quartos, o que comiam.... cara... tem uma casa montada dentro do museu só pra ver como era a casa... Nem... muito chato! Só uma coisa me chamou atenção:



Uma propaganda que rolou aqui durante a 1ª Guerra Mundial, aquela que ninguém sabe porque cargas d'água aconteceu!
Imaginem uma pessoa nada modesta, é assim esse museu!

Museu da História Natural

Esse é muito bom! Com direito a T-Rex e mamutes.
É dividido em várias salas gigantes: Répteis, Mamíferos, Vegetais, Solos, Anfíbios, Homem das cavernas, Oceano, Minerais e Koreia (???).
Cada qual com a devida ambientação muito bem explicada e exemplificada. Esqueletos de dinossauros, animais bizarros empalhados, animais bizarros vivos, múmias, peixes. Só a parte da Koreia que realmente é meio "seilá". Tem ... coreanos... e fim!
Na parte dos minerais tem pedras de todos os tipos e do mundo inteiro, mas com 3 separações em destaque: India, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.
Mas o mais interessante é um animal antigo com o qual temos um parentesco:




Museu Nacional da Aviação e Espaço

O Mário iria dizer "Mama mia!", o Leonardo iria dizer "Santa Tartaruga!", o Pikachu iria dizer "Pika!", e eu disse um sinonimo disso quando entrei nesse museu.
Das primeiras as últimas cápsulas espaciais, trajes de astronautas, foguetes, e o chão todo babado.
Já de cara voce encontra o comando modular da Apolo 11, e nesse mesmo saguão, uma série de outras cápsulas que te faz entender porque os astronautas tem que ser baixos.
O museu conta a história dos 50 anos da era do espaço e como os EUA começaram atrás nessa corrida. Fotos, trajes e história de vários astronautas espalhados pelo museu, inclusive dos soviéticos, como o Yuri Gagarin, ilustram bem a parada.
Todos os aparatos usados na primeira (e para alguns, imaginária) ida a Lua, até mesmo aquele carrinho, no qual voce paga 5 dólares e pode dar uma voltinha... NOT!

Mas é isso ae! Post todo bagunçado com vários temas mesmo! e sem uma conclusão! Ainda tenho muito o que falar de coisas por aqui... afinal de contas, está chegando o Inauguration Day!
Beijos e abraços



segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

The Apple Store!

Ao sair do Central Park voce encara paredes enormes de prédios gigantescos, mas ali no cantinho, parecendo meio que uma pracinha no meio de tudo, tem um cubo de vidro e uma grande maçã branca.
Ao se aproximar você percebe que há uma escada, e ao pisar no primeiro degrau, um japamericano sorri pra você, abre os braços e diz "Welcome to the Apple store!".

A loja da Apple não parece que foi feita para vender nada! São vários notebooks, ipods e etc, dispostos em mesas em todos os lados, no qual você pode utilizar tudo, entrar na internet, jogar jogos, etc etc. E qualquer cara de dúvida que voce esperimenta fazer diante de qualquer coisa, uma pessoa vem até voce e te explica como funciona e te deixa a vontade. "É um extintor de incendio! Para utilizá-lo basta puxar esta alavanca e pressionar esta parte! Mas voce nao estaria mais interessado em jogar Star Wars 3D diante daquele monitor de cristal liquido de 29 polegadas?"






A Apple sabe muito bem trabalhar seu Mix de Marketing. Divulgando a empresa, criando empatia com a marca e quebrando a barreira de se utilizar um Mac.
Além de ser tudo bonito e com cara futurista!
Nunca antes tinha tentado utilizar um Mac, e agora só penso o tanto que seria interessante ter 1. Alguem aí está afim de comprar meu notebook? hehehe